Início do conteúdo

Sobre o IFRS


(Dados atualizados em julho/2018)

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) é uma instituição federal de ensino público e gratuito. Atua com uma estrutura multicampi para promover a educação profissional e tecnológica de excelência e impulsionar o desenvolvimento sustentável das regiões.

Possui 17 campi: Bento Gonçalves, Canoas, Caxias do Sul, Erechim, Farroupilha, Feliz, Ibirubá, Osório, Porto Alegre, Restinga (Porto Alegre), Rio Grande e Sertão e, em processo de implantação: Alvorada, Rolante, Vacaria, Veranópolis e Viamão. A Reitoria é sediada em Bento Gonçalves.

Atualmente, o IFRS conta com cerca de 20 mil alunos, em mais de 250 opções de cursos técnicos e superiores de diferentes modalidades e Proeja. Oferece também cursos de pós-graduação e dos programas do governo federal e de Formação Inicial ou Continuada. Tem aproximadamente 1.020 professores e 950 técnicos-administrativos.

Conforme dados divulgados em março de 2017, pelo Ministério da Educação (MEC), o IFRS possui conceito 4 (quatro) no Índice Geral de Cursos (IGC), em uma escala que vai até cinco. O indicador refere-se à avaliação do ano de 2015.

Confira o vídeo institucional do IFRS e outros vídeos

 

Inserção Regional

Um dos objetivos dos institutos federais é definir políticas que atentem para as necessidades e as demandas regionais. Nesse sentido, o IFRS apresenta uma das características mais significativas que enriquecem a sua ação: a diversidade. Os campi atuam em áreas distintas como agropecuária, de serviços, área industrial, vitivinicultura, turismo, moda e outras.

Propõem valorizar a educação em todos os seus níveis, contribuir para com o desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão, oportunizar de forma mais expressiva as possibilidades de acesso à educação gratuita e de qualidade e fomentar o atendimento a demandas localizadas, com atenção especial às camadas sociais que carecem de oportunidades de formação e de incentivo à inserção no mundo produtivo.

 

Mestrados

O IFRS oferece quatro cursos de mestrado profissional. O mestrado em Informática na Educação, realizado no Campus Porto Alegre, possui as áreas de concentração: Tecnologias Educacionais e Educação na Sociedade em Rede; e as linhas de pesquisa: Tecnologia da Informação Aplicada à Educação e Práxis Educativa na Sociedade Digital. O mestrado em Tecnologia e Engenharia de Materiais tem aulas ofertadas conjuntamente em três campi: Caxias do Sul, Farroupilha e Feliz. A área de concentração é Tecnologia e Engenharia de Materiais; e as linhas de pesquisa: Desenvolvimento de Materiais de Engenharia e Tecnologia da Transformação de Materiais. Além desses dois, o Campus Porto Alegre do IFRS é polo de outros dois mestrados profissionais em rede nacional. O Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica, com sede no Instituto Federal do Espírito Santo – IFES possui área de concentração em Educação Profissional e Tecnológica – EPT; e as linhas de pesquisa Gestão e Organização do Espaço Pedagógico em EPT e Práticas Educativas em EPT. O Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação tem seu Ponto Focal Sede na Universidade Federal de Alagoas e possui a área de concentração em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação; e a linha de pesquisa em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação em Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs).

Todos os cursos são aprovados pela Coordenação de Aperfeiçoamento em Pessoal de Nível Superior (Capes), sendo que três deles possuem conceito 3 (três) e o ProfNIT possui conceito 4 (quatro).

 

Esclareça suas dúvidas

– O que é um Instituto Federal?

É uma instituição de ensino pública (ligada ao governo federal), especializada na oferta de educação profissional e tecnológica, que orienta a oferta de cursos visando ao fortalecimento dos arranjos produtivos, sociais e culturais das localidades onde está instalado. O IFRS oferece cursos de formação inicial continuada (cursos rápidos), cursos técnicos de nível médio, de graduação e de pós-graduação (especialização e mestrado). Seu nome completo é Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), mas também é chamado pela forma resumida: Instituto Federal do Rio Grande do Sul; ou pela sigla, que é pronunciada letra por letra (I-F-R-S) ou com as duas primeiras letras lidas como palavra e as duas últimas soletradas (If-R-S).

– No Rio Grande do Sul, como é a atuação dos Institutos Federais?

No Rio Grande do Sul, atuam três institutos federais: Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), Instituto Federal Sul-riograndense (IFSul) e Instituto Federal Farroupilha (IFFarroupilha).

– Qual a diferença entre um instituto federal e uma universidade pública federal?

Ambos são instituições federais, mas possuem atuação diferente. Uma universidade federal oferece cursos de graduação e pós-graduação. Os institutos federais atuam em diversas modalidades de ensino, desde o médio técnico até a pós-graduação.

– Como eu posso estudar no IFRS?

O ingresso varia conforme a modalidade de curso. Para os cursos rápidos, há um processo seletivo simplificado. Para os cursos técnicos concomitantes ou integrados ao ensino médio, é preciso ter ensino fundamental completo e a seleção para ingresso ocorre via processo seletivo próprio (realizado duas vezes ao ano). Para os cursos técnicos subsequentes ao ensino médio, é preciso ter o ensino médio completo e a seleção se dá por processo seletivo próprio (duas vezes ao ano) ou pela nota do Enem. Para os cursos superiores, é necessário ter ensino médio completo e a seleção acontece por processo seletivo próprio (duas vezes ao ano), pela nota do Enem ou pelo Sisu. Os cursos de pós-graduação têm seleções próprias diferenciadas. Confira o Portal de Ingresso.

– Como eu posso trabalhar no IFRS?

Como instituição pública, a seleção dos servidores do IFRS ocorre via concurso público. Confira o site de concursos.

 

MISSÃO, VISÃO E PRINCÍPIOS

Missão

Promover a educação profissional, científica e tecnológica, gratuita e de excelência, em todos os níveis e modalidades, através da articulação entre ensino, pesquisa e extensão, em consonância com as demandas dos arranjos produtivos locais, formando cidadãos capazes de impulsionar o desenvolvimento sustentável.

 

Visão Institucional

Ser uma instituição de excelência em educação, ciência e tecnologia.

 

Princípios

O Instituto Federal do Rio Grande do Sul garantirá a todos os seus campi a autonomia da gestão institucional democrática, a partir dos princípios constitucionais da Administração Pública:

Princípios constitucionais da Administração Pública:

a) Legalidade;

b) Impessoalidade;

c) Moralidade;

d) Publicidade;

e) Eficiência.

Além dos princípios constitucionais da Administração Pública, balizam a atuação do IFRS:

f) Ética;

g) Desenvolvimento Humano;

h) Inovação;

i) Desenvolvimento científico e tecnológico;

j) Qualidade e Excelência;

k) Autonomia;

l) Transparência;

m) Respeito;

n) Compromisso Social.

 

FINALIDADES

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), no cumprimento de suas obrigações legais e propósitos de ser agente de transformação regional, articula-se com as seguintes finalidades:

I – ofertar educação profissional e tecnológica, em todos os seus níveis e modalidades, formando e qualificando cidadãos com vistas à atuação profissional nos diversos setores da economia, com ênfase no desenvolvimento socioeconômico local, regional e nacional;

II – desenvolver a educação profissional e tecnológica, como processo educativo e investigativo de geração e adaptação de soluções técnicas e tecnológicas às demandas sociais e peculiaridades regionais;

III – promover a integração e a verticalização da educação básica à educação profissional e educação superior, otimizando a infraestrutura física, os quadros de pessoal e os recursos de gestão;

IV – orientar sua oferta formativa em benefício da consolidação e fortalecimento dos arranjos produtivos, sociais e culturais locais, identificados com base no mapeamento das potencialidades de desenvolvimento socioeconômico e cultural no âmbito de atuação do Instituto Federal;

V – constituir-se em centro de excelência na oferta do ensino de ciências, em geral, e de ciências aplicadas, em particular, estimulando o desenvolvimento de espírito crítico, voltado à investigação empírica;

VI – qualificar-se como centro de referência no apoio à oferta do ensino de ciências nas instituições públicas de ensino, oferecendo capacitação técnica e atualização pedagógica aos docentes das redes públicas de ensino;

VII – desenvolver programas de extensão e de divulgação científica e tecnológica;

VIII – realizar e estimular a pesquisa aplicada, a produção cultural, o empreendedorismo, o cooperativismo e o desenvolvimento científico e tecnológico;

IX – promover a produção, o desenvolvimento e a transferência de tecnologias sociais, notadamente as voltadas à preservação do meio ambiente.

Fim do conteúdo