Início do conteúdo

Unidade Didática Agrofloresta e Fruticultura


 

A partir de agosto de 2021 começaram a ser realizadas as primeiras instalações e preparativos para a implantação da agrofloresta no campus Vacaria. Com uma área de 2,75 ha, a agrofloresta conta atualmente com 12 espécies distintas, nativas da região e adaptadas ao clima, distribuídas entre frutíferas e florestais, que são goiaba serrana, uva, uvaia, pitanga, sete capotes, araçá vermelho e amarelo, guabiroba e  bracatinga. Estas espécies também são indicadas em plantios destinados à recuperação de áreas degradadas, pois  elas têm a capacidade de retirar o nitrogênio da atmosfera e fixá-lo no solo, enriquecendo-o, além de incorporar grande quantidade de material orgânico. E ainda por atrair vasta fauna.

Uma agrofloresta é um sistema de produção alternativa, sustentável, rentável e que minimiza os efeitos causados pela agricultura convencional, unindo a agricultura e a conservação ambiental. Nas agroflorestas existem uma combinação de diferentes espécies nas plantações, consorciadas a criação animal junto com as culturas agrícolas, frutíferas , hortaliças e madeireiras na mesma área aumentando a diversidade do ecossistema e a fertilidade do meio (Baggio, 1992)1 (Righi & Bernardes, 2018)2 . A agrofloresta se caracteriza pela simbiose de culturas anuais, árvores perenes, frutíferas e leguminosas e até mesmo a criação de animais. A falta de estrutura do solo está associada a baixa fertilidade diminuindo a produtividade de diversas áreas, o consórcio de várias espécies dentro de uma área aumenta a diversidade do ecossistema  transformando interações benéficas entre as plantas de diferentes ciclos, portes e funções.

O Campus Vacaria oferta, para a região, cursos que utilizam o meio ambiente como forma de estudo. Pensando nisso, surgiu a proposta da implantação de uma agrofloresta didática, que servirá como base para novas análises e estudos aos arranjos produtivos locais, pois visa ofertar uma forma de produção alternativa, para minimizar os impactos ambientais das produções convencionais, capaz de produzir mais culturas em uma mesma área.

REFERÊNCIAS

1 BAGGIO, A.J. Alternativas agroflorestais para recuperação de solos degradados. Fundação de Pesquisa Florestais do Paraná. Curitiba, 1992.

2 RIGHI, C. A. & BERNARDES, M. S. Sistemas Agroflorestais. DIBD/ESALQ/USP.  Piracicaba, 2018. Disponível neste link.

 

 

Última atualização em 12/01/2022

Fim do conteúdo