Início do conteúdo

Cinco projetos de pesquisa participam da Febrace nesta semana


Estudantes apresentam trabalho na 20ª Febrace

De 10 a 13 de janeiro de 2022, cinco projetos do Campus Osório estão sendo apresentados nas sessões de avaliação online da 20ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE). O evento, promovido pela Escola Politécnica da USP acontece em formato híbrido, prevendo a realização da Mostra Presencial de aproximadamente 70 projetos de destaque em São Paulo, de 21 a 25 de março, paralelamente à Mostra Virtual com os 500 projetos selecionados como finalistas.

Os trabalhos do Campus Osório participantes da mostra já foram premiados em diversos eventos. Conheça cada um deles:

 

Eco-socius: o comportamento dos jovens do Litoral Norte gaúcho na Economia Circular

A estudante Victórya Leal Altmeyer Silva, do curso Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio, juntamente com sua orientadora, professora Flávia Twardowski, desenvolveram um método capaz de explicar o comportamento dos jovens do Litoral Norte gaúcho na Economia Circular e demonstraram que ações educativas podem estimulá-los a adotar práticas de consumo com responsabilidade social e ambiental. O estudo utilizou equações matemáticas e análise multivariada (observação de diferentes características) e privilegia a redução no consumo, a reutilização e a reciclagem.

 

 

 

 

 

Estudo de Extratos Aquosos de Plantas Medicinais na Inibição do Agente Causal da Sigatoka-Amarela da Bananeira – Fase II

No trabalho, a estudante Amanda de Lorenzi Borges, do curso Técnico em Administração Integrado do Ensino Médio, orientada pela professora Flávia Twardowski, estudou a ação de diferentes extratos de plantas medicinais na inibição do crescimento de um fungo que causa a sigatoka-amarela, a qual afeta as bananeiras e pode resultar em perdas totais na produção. Ela observou que os extratos aquosos de alho e de cravo-da-índia controlaram inteiramente o desenvolvimento do fungo responsável por essa doença, sendo uma alternativa aos métodos convencionais de controle que utilizam agrotóxicos.

 

 

 

 

 

SustainPads: Uma alternativa acessível e ecológica aos absorventes femininos

O projeto é das estudantes Camily Pereira dos Santos, do curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio; e Laura Nedel Drebes, do Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio, com orientação da professora Flávia Twardowski.

As estudantes pesquisaram e desenvolveram materiais absorventes a partir das fibras da palmeira juçara e do pseudocaule da bananeira. São alternativas mais baratas e ambientalmente sustentáveis para a confecção de absorventes higiênicos em comparação com o algodão e os plásticos comumente utilizados. A pesquisa busca contribuir para reduzir o problema da falta de acesso a produtos adequados para o cuidado da higiene menstrual.

 

 

 

Utilização do lodo ativado como agente na degradação de micropartículas plásticas

De autoria dos estudantes Igor da Rosa de Oliveira e Laura Teixeira da Rosa, do curso Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio, é orientado por Cláudius Soares e coorientado por Flávia Twardowski.

O trabalho verificou, na região costeira do Litoral Norte gaúcho, a ocorrência de pequenas partículas de plástico (microplásticos) que impactam negativamente o meio ambiente. A partir disso, propôs uma forma de reduzi-los, com a biodegradação a partir do uso de lodo resultante do processo de tratamento de esgoto (lodo ativado).

 

 

 

Desenvolvimento de celulose bacteriana produzida a partir dos resíduos do processamento de uva

Desenvolvido pela estudante Amanda Ribeiro Machado, do curso Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio, com orientação da professora Flávia Twardowski, o trabalho busca aproveitar resíduos da produção do suco de uva e processamento de vinho, utilizando um processo biotecnológico para transformar o que iria para o lixo em um material alternativo aos polímeros artificiais (utilizados para a produção dos mais diversos objetos e materiais). As membranas desenvolvidas são biodegradáveis e têm uma promissora aplicabilidade em células combustíveis, como uma membrana de troca de prótons. As células combustíveis são capazes de transformar energia liberada em reações de oxirredução em energia elétrica.

 

 

 

 

Sobre a Febrace

É a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia em abrangência e visibilidade. Seu objetivo é estimular a cultura científica, a inovação e o empreendedorismo na educação básica e técnica, despertando novas vocações nessas áreas e induzindo práticas pedagógicas inovadoras nas escolas.

Podem participar estudantes matriculados no 8º ou 9º ano do ensino fundamental, no ensino médio ou técnico de instituições públicas e privadas de todo o Brasil. Os estudantes devem ter no máximo 20 anos. Os projetos submetidos devem enquadrar-se nas áreas das Ciências (Exatas e da Terra, Biológicas, da Saúde, Agrárias, Sociais e Humanas) e Engenharias.

 

> Conheça alguns dos destaques já obtidos pelos projetos em Campus Osório conquista 14 premiações na Mostratec

Fim do conteúdo