Início do conteúdo

IFRS é homenageado na Câmara de Vereadores de Vacaria


Testemunho de estudante do Ensino Médio Integrado sobre a qualidade de ensino da instituição encantou o público presente na homenagem

Ocorreu na noite da última terça-feira, dia 04 de dezembro, na Câmara de Vereadores de Vacaria, sessão solene em homenagem aos 10 anos do Instituto Federal do Rio Grande do Sul, por ocasião de sua criação em 29 de dezembro de 2008, através da Lei 11.892. Na ocasião a pró-reitora de administração, Tatiana Weber, representou a reitoria. Membros da diretoria, do gabinete, diversos estudantes, professores, técnicos administrativos em educação e estudantes do Campus fizeram-se presentes. O evento também contou com a presença dos vereadores, representantes do executivo, de outras instituições de ensino superior da cidade, de organizações sociais e da imprensa.

A atuação dos Institutos Federais

Os IFs fazem parte da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica que transformou 31 centros federais de educação tecnológica (Cefets), 75 unidades descentralizadas de ensino (Uneds), 39 escolas agrotécnicas, 7 escolas técnicas federais e 8 escolas vinculadas a universidades em 38 institutos presentes em todos estados do Brasil, oferecendo cursos gratuitos.

O IFRS faz parte dessa rede. O Campus Vacaria possui autonomia administrativa, financeira e pedagógica desde 2015, data em que se tornou uma autarquia, todavia sua atuação inicia antes. Em 2006 a instituição ainda se configurava como uma extensão da Escola Agrotécnica Federal de Sertão. Outro marco importante foi 2009, ano em que o núcleo local passou a integrar o campus Bento Gonçalves do IFRS. Os desafios foram constantes e ajudaram estruturar a qualidade que hoje se apresenta. Atualmente 384 alunos estão matriculados em oito cursos regulares e cerca de 1200 são atendidos em palestras e cursos de Formação Inicial e Continuada. São oferecidos quatro cursos técnicos: Agropecuária (ofertado nas modalidades integrado e subsequente ao Ensino Médio), Logística (subsequente), Manutenção e Suporte em Informática (subsequente) e Multimídia (integrado). O Campus também oferta dois cursos superiores: bacharelado em Agronomia (em convênio com a UERGS) e licenciatura em Ciências Biológicas. Além disso, neste ano iniciaram duas especializações: Docência na Educação Básica e Produção Vegetal (também em parceria com a UERGS).

Interiorização do ensino federal: conquistas e desafios

Durante a solenidade, as falas das autoridades destacaram a importância da educação para a qualidade de vida do país e lembraram os desafios que ainda tem que ser vencidos, principalmente em nível municipal, desde a necessidade de aumentar a escolarização da população até a demanda por asfaltamento na via de acesso ao Campus local. Além disso, reafirmou-se o compromisso com a colaboração, tanto do poder legislativo quanto ao executivo, ao trabalho do IFRS.

Tatiana Weber, pró-reitora administrativa do IFRS discorreu a respeito do impacto da expansão do ensino federal. “Sem dúvida alguma, a maior virtude do Instituto Federal foi promover a interiorização do ensino federal, levando educação pública de qualidade a cidades que não tinham essa possibilidade, como é o caso de Vacaria, dentre 650 unidades em todo o país. Isso muda vidas, faz a diferença, pois as pessoas não precisam se deslocar, permanecem em seus municípios trabalhando para transformar a realidade local”. Ela também lembrou que os cursos são planejados após pesquisa diagnóstica da vocação regional, respeitam os arranjos produtivos locais e buscam potencializar novos.

Outro aspecto muito importante dos Institutos Federais, reafirmado por vários dos representantes presentes, é o socioeconômico: cerca de 70% do público de Campus Vacaria tem baixa renda. Gilberto Putti, diretor do Campus, frisou em sua fala o caráter gratuito da instituição, bem como as formas de ingresso utilizadas pelas cotas, além da possibilidade de auxílios de acordo com a renda e bolsas de ensino, pesquisa e extensão.

Aprendizado e experiência

A relevância do Ensino Médio integrado foi salientada diversas vezes durante a homenagem. O estudante Guilherme Bortolotto da Silva, do curso técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio, foi chamado pelo diretor do Campus para dar seu depoimento, encantando o público presente. Segundo ele “o Instituto Federal se resume em duas palavras: aprendizado e experiências. Aprendizado, pois todas as pessoas que compõe o corpo do instituto são extremamente bem preparadas e bem qualificadas, os professores realmente querem saber se o aluno aprendeu o conteúdo que foi trabalhado em aula. Experiências porque desde o Ensino Médio nós temos a oportunidade de participar de pesquisa, extensão e ensino. Desde o Ensino Médio a gente começa a se habituar à pesquisa e ao rigor científico, algo que eu acredito que é exclusivo do Instituto Federal, e também toda a participação estudantil que nós temos: o IFRS quer ouvir a palavra do aluno, quer saber o que o aluno está precisando e necessitando. Isso eu acho de grande valor”.

Sobre o futuro, Gilberto Putti compartilhou com os presentes o projeto de ampliação de vagas do Ensino Médio integrado e os novos cursos que a instituição planeja ofertar no segundo semestre de 2019: PROEJA em Agroindústria, Licenciatura em Pedagogia e curso superior de tecnologia em Processos Gerenciais. Ao encerrar sua fala, convidou toda a comunidade para conhecer o Campus.

 

Fim do conteúdo