Início do conteúdo

Estudante vencedora de feira mundial de ciências vai ganhar medalha da Assembleia do RS


A estudante formada no Ensino Médio do Campus Osório do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) Juliana Davoglio Estradioto, 18 anos, irá receber a medalha da 55º Legislatura da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (ALERGS). Juliana é responsável pela pesquisa que conquistou em maio o 1º lugar na área de Ciência dos Materiais na maior feira de Ciências do Mundo, a Intel Isef. O evento de entrega da honraria será realizado no dia 27 deste mês, às 11h, no salão Júlio de Castilhos da Assembleia.

Na pesquisa, a jovem apresentou um estudo sobre o aproveitamento da casca da noz macadâmia para confeccionar uma membrana biodegradável que pode ser utilizada em curativos de pele ou em embalagens, substituindo o material sintético. Além de ecologicamente correta, a membrana tem um custo mais baixo do que o sintético. O trabalho foi orientado pela professora Flávia Twardowski, doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Na manhã de quarta-feira (11), Juliana, a orientadora e o diretor-geral Claudino Andrighetto receberam no IFRS – Campus Osório o deputado estadual Fernando Marroni (PT), responsável por conceder a medalha da Legislatura para a aluna. O grupo visitou as instalações do Instituto, onde conversaram sobre a condecoração, os desafios da pesquisa e educação no Brasil e os projetos desenvolvidos pelos estudantes do local. “É muito bonito esse tipo de reconhecimento, não só para mim mas também para o lugar de onde eu vim”, destacou Juliana durante o encontro. Entidades sindicais, instituições de ensino e estudantes estão convidados para a cerimônia de entrega da medalha da 55º Legislatura.

Juliana é técnica em administração pelo IFRS. Desde os 15 anos desenvolveu três projetos de pesquisa na área de sustentabilidade, utilizando resíduos orgânicos para produção de materiais inovadores. Na Intel International Science and Engineering Fair (Intel ISEF) de 2019, foi a primeira brasileira a vencer o primeiro lugar na categoria de Ciência dos Materiais. Como resultado, terá um asteroide com seu sobrenome. Juliana representou o Brasil na feira em outras três ocasiões.

Vencedora do Prêmio Jovem Cientista 2018, a aluna também foi a primeira menina a ser selecionada para representar o Brasil no Seminário Internacional de Ciências Juvenis de Estocolmo (SIYSS, em inglês), um evento que reúne anualmente 25 dos maiores jovens cientistas do mundo para um programa exclusivo de ciência e cultura na semana da solenidade do Prêmio Nobel.

Crédito fotos e texto: Assessoria do deputado estadual Fernando Marroni

Fim do conteúdo