Pular para o conteúdo
Logo do IF

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Início da navegação
IFRSMarca do Instituto Federal do Rio Grande do Sul
 Esconder/Mostrar Menu Fim da navegação
Início do conteúdo

Cursos do IFRS – Campus Farroupilha são destaque no Enade 2017


Na última terça-feira, dia 09 de outubro, o Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentaram os resultados do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2017. Na edição deste ano três cursos do IFRS – Campus Farroupilha foram avaliados.

O Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) conquistou nota 4,98 e alcançou conceito 5 na prova, o máximo da escala. Essa nota torna o curso o melhor do Brasil em sua área, e o segundo melhor curso do Rio Grande do Sul entre todos os avaliados no Enade 2017.

Além do ADS outros dois cursos foram avaliados nesta edição. O curso de Engenharia de Controle e Automação conquistou nota 3,81 (conceito 4), o que o coloca entre os 10 melhores cursos do Brasil na área. Já o curso de Engenharia Mecânica obteve nota final 3,91 (conceito 4) e ficou entre os 15 melhores cursos da área em nível nacional.

Segundo o Diretor Geral pro-tempore do IFRS – Campus Farroupilha, Leandro Lumbieri, enaltece o esforço coletivo na conquista dos resultados exemplares: “O IFRS – Campus Farroupilha está muito satisfeito com mais este resultado positivo, desta vez, no Enade com os cursos superiores de Engenharias com a sua excelente nota 4, mas, principalmente com o seu Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas com a maior nota do Brasil e conceito 5. Estes resultados devem-se especialmente ao comprometimento que os Servidores do Campus tem para com a educação”.

O diretor ainda destaca a experiência dos Institutos Federais como exemplo de bom investimento público em educação: “Os Institutos Federais vêm comprovando dia após dia que uma educação pública gratuita e de qualidade é possível com investimentos e um modelo adequado. Não há de se falar em resultado em educação e otimização de recursos públicos sem falar dos Institutos Federais como principal modelo”.

Já Ricardo Manfredini, Coordenador do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, lembra que esse resultado é reflexo do comprometimento de toda a comunidade acadêmica e da relevância da implantação de boas políticas públicas de educação: “Este resultado vem a coroar toda uma política de valorização do ensino público, gratuito e de qualidade. No último Enem o Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio do campus já teve um excelente resultado, obtendo a melhor avaliação de toda a Serra Gaúcha. Agora, com nosso Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas obtendo o melhor desempenho no Enade a nível nacional só vem a comprovar a validade dessas políticas públicas. Isso só foi possível devido ao comprometimento de nossos estudantes e a constante qualificação de nossos servidores”.

Sobre o Enade

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), aplicado desde 2004, é uma das avaliações do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Seu objetivo é aferir o desempenho dos estudantes em relação a conhecimentos, competências e habilidades desenvolvidas ao longo do curso.

O Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação e é composto por uma prova para avaliação individual de desempenho do estudante e um Questionário do Estudante. De acordo com a legislação, devem ser inscritos no Exame os estudantes dos cursos de graduação, ingressantes e concluintes, dos cursos avaliados na edição. No histórico escolar do estudante ficará registrada a situação de regularidade no Enade. Para ter regularidade o concluinte precisa responder ao Questionário do Estudante e realizar a prova de 40 questões dividida em duas partes:

Formação Geral (FG) – afere aspectos da formação profissional relativas a atuação ética, competente e comprometida com a sociedade em que vive; corresponde a 25% da nota no Enade; tem oito questões de múltipla escolha e duas discursivas.

Componente Específico (CE) – a prova de cada área de avaliação do Enade, no que se refere à parte de conhecimento específico, é delimitada por diretriz de prova e estruturada a partir de uma matriz que envolve competências, habilidades e objeto de conhecimento; corresponde a 75% da nota no Enade; tem 27 questões de múltipla escolha e três discursivas.

O Enade teve algumas mudanças em relação às edições passadas. Pela primeira vez o Enade teve um edital com as diretrizes, os procedimentos e os prazos do exame. A principal novidade, entretanto, foi a participação do estudante no processo de inscrição. Até a edição de 2016, os coordenadores de cursos inscreviam todos os estudantes, sendo responsáveis por informar, inclusive, suas necessidades de Atendimento Especializado e específico, além de dados pessoais. Em 2017, a inscrição continuou sendo responsabilidade do coordenador, mas cada estudante precisou realizar seu cadastro, informando suas especificidades. O estudante que cursava mais de uma graduação também precisou escolher, durante o cadastro, em que curso que ser avaliado. Até a última edição, essa escolha era feita no dia da prova.

Em 2017 foram inscritos 537.360 estudantes concluintes, sendo 422.746 da modalidade presencial e 114.614 da modalidade de Educação a Distância (EAD). Foram avaliados 10.570 cursos, sendo 10.054 presenciais e 516 de EAD. Participaram do Enade 2017 1.478 Instituições de Educação Superior e 44 Áreas de Avaliação. A logística de aplicação envolveu 1.497 municípios de todas as Unidades da Federação. Foram 1.700 locais de aplicação. Foram avaliados os estudantes das seguintes áreas:

  • Bacharel nas áreas de Arquitetura e Urbanismo; Engenharia Ambiental; Engenharia Civil; Engenharia de Alimentos; Engenharia de Computação; Engenharia de Controle e Automação; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica; Engenharia Florestal; Engenharia Mecânica; Engenharia Química; Engenharia; e Sistemas de Informação.
  • Bacharel ou Licenciatura em Ciência da Computação; Ciências Biológicas; Ciências Sociais; Filosofia; Física; Geografia; História; Letras – Português; Matemática; e Química.
  • Licenciatura em Artes Visuais; Educação Física; Letras – Português e Espanhol; Letras – Português e Inglês; Letras – Inglês; Música; e Pedagogia.
  • Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Gestão da Produção Industrial; Redes de Computadores; e Gestão da Tecnologia da Informação.

Fim do conteúdo
Início do rodapé Fim do rodapé