Início do conteúdo

Revista #Tear


#Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia é uma publicação científica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), de responsabilidade do projeto de pesquisa Leitura em Rede (IFRS; PROBITI/FAPERGS). Seu propósito é divulgar a produção científica de pesquisadores brasileiros e estrangeiros, propiciando um diálogo entre os diferentes campos da educação profissional, em suas relações com a ciência e a tecnologia. Publica artigos, resenhas, entrevistas, entre outras contribuições acadêmicas, em português, inglês e espanhol. Sua periodicidade é semestral.

O tear representa, nas culturas orientais, a estrutura e o movimento do universo em processo de (re)criação contínua. Do tear vem o trabalho de tecelagem, o qual é composto de múltiplos fios que, juntos, formam uma rede pelas mãos do tecelão. Dessa forma, a revista #Tear busca ser uma fonte geradora de redes de conhecimento em educação, ciência e tecnologia, as quais são construídas e reconstruídas pelas mãos e pelas mentes daqueles que o tecem: os pesquisadores.

Mais informações podem ser encontradas abaixo ou pelo link https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear

 

 

Volume 5, número 1 (2016)

Dossiê: Inovações tecnológicas em educação de Ciências da Natureza e Matemática

Organizadores: Priscila Azevedo da Silveira (IFRS) e Esequia Sauter (UFRGS)

 

O estudo e a prática ética dos mecanismos de ensino e aprendizagem com o objetivo de facilitar os processos por meio da inovação são fundamentais nos avanços da educação de Ciências da Natureza e Matemática. Recentes pesquisas apontam que a escolha de mídias adequadas proporciona uma melhor performance das atividades educacionais, sobretudo em áreas como essas, que exigem profunda abstração.

A #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia busca compilar, na presente chamada, trabalhos que abordem tópicos em educação de ciências da natureza, matemática e suas tecnologias, promovendo a difusão dos resultados de pesquisas obtidos pela comunidade acadêmica. Artigos científicos resultantes de pesquisas inéditas que estejam dentro desse escopo serão muito bem-vindos.

Publicação: julho de 2016

 

 

Volume 4, número 2 (2015)

Dossiê: Formação docente

Organizadores: Gisele Palma (IFRS) e Teresa Pessoa (Universidade de Coimbra)

 

As instituições de ensino atuais, bastante complexas, situam-se num cenário de diversidade, de fragilidades e em constante transformação, o que tem reflexos na sua identidade, na revisão das suas funções e em novos acordos e colaborações com a sociedade, sustentados em diferenças culturais, econômicas, políticas e sociais da contemporaneidade. Nesse sentido, a formação de professores constitui-se como oportunidade e importante desafio, na medida em que precisa estar contextualizada às rupturas epistemológicas e conceituais que a prática profissional impõe permanentemente. Diante desse contexto, a #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia propõe, no presente dossiê, promover a reflexão, de forma dialética e não linear, acerca da formação dos professores, das suas realidades e oportunidades situadas em diferentes contextos contemporâneos.

Publicação: dezembro de 2015

 

Volume 4, número 1 (2015)

Dossiê: Educação de Jovens e Adultos: desafios e perspectivas

Organizadores: Maria Cecília Camargo Günther (UFSM) e José Antônio Padilha dos Reis (IFRS)

 

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) representa a possibilidade de concretização do direito ao letramento de jovens e adultos e também o retorno aos estudos por parte daqueles que se viram obrigados a interromper sua escolarização. Além disso, a EJA também expõe alguns dilemas pelos quais, historicamente, passa a educação brasileira e oferece possibilidades para que possamos compreendê-los.

Dilemas que verificamos quando essa modalidade (originalmente pensada para o atendimento de adultos) passa a ser frequentada pelos jovens em grande número; quando constatamos uma inadequação da escola aos tempos e ritmos desse público específico; pelas dificuldades enfrentadas pelos professores quando são desafiados a educar pessoas de diferentes faixas etárias em um mesmo ambiente; ou ainda quando a escola é desafiada a integrar a Educação Profissional ao Ensino Médio e à EJA, como no caso do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja).

Ao longo de sua história, a EJA muitas vezes distancia-se de seu papel, assumindo um caráter meramente compensatório, traduzido em um ensino aligeirado e de qualidade duvidosa. Paradoxalmente a essa condição de precariedade, a EJA também tem sido cenário de uma longa trajetória de lutas e da materialização de experiências pedagógicas inovadoras. Diante desse quadro complexo, a Revista #Tear apresenta como proposta “A Educação de Jovens e Adultos: desafios e perspectivas”, com o objetivo de promover um espaço de visibilidade às produções que possam expressar a realidade dessa modalidade de ensino e enriquecer o debate sobre o tema e suas múltiplas nuanças.

Publicação: julho de 2015

 

 

Volume 3, número 2 (2014)

Dossiê: Cultura, educação e sociedade no Brasil contemporâneo

Organizadores: Cimara Valim de Melo (IFRS e King’s College London) e Edward King (University of Cambridge)

 

Após 50 anos do Golpe Militar no Brasil, 30 anos do movimento Diretas Já e 25 anos das primeiras eleições diretas para presidente depois da ditadura, o Brasil contemporâneo experimentou profundas transformações em termos sociopolíticos e econômicos, com consequências para as produções artístico-culturais. Pensando nas relações entre Brasil real e imaginado na contemporaneidade – além das formas como o país teve sua identidade redefinida, transformada por outras identidades em trânsito e influenciada pela intensificação dos processos de urbanização e globalização vividos nas últimas décadas, o dossiê “Cultura, educação e sociedade no Brasil contemporâneo” busca estabelecer diálogos entre diferentes áreas do saber, em especial, Artes e Humanidades, a fim de analisar o país quanto a suas realidades social, cultural, artística, e aos reflexos de tais realidades no meio educacional.

Trabalhos científicos a partir de perspectivas sincrônicas ou diacrônicas, preferencialmente de caráter multidisciplinar, que abordem um ou mais dos temas propostos pelo dossiê, serão muito bem-vindos.

Publicação: dezembro de 2014

Fim do conteúdo